Ferimento Leve...!

7 comentários
 

Seu Dotô venha correndo
Que um paciente te espera
Traga Remédios pra dor
E material pra curativo
Na dúvida traga também
instrumentos cirúrgicos
Se nada disso adiantar
Traga o padre seu Dotô
Que ele quer se confessar
Seu pecadado maior?
Desobediente e insando
Não teve medo do perigo
Desafiou a razão
Brincou com o destino
E se espatifou no chão!

-------------------------------------------------------------------------------------
Relendo tudo isso, me lembrei do meu avô... Dado a repentes, estava sempre a compor versinhos assim, sempre acompanhado de um violão...rsrsrs
Uma linda época da minha infância!
Coisas das noites insones!

7 Comentaram...

  1. Fred says:

    Prazer!!
    Que poesia bonita, e parabéns pela sua infância, também tive um avô, não com o violão mas, com muita prosa das boas pra contar, lembro das histórias até hoje!

    Até.

  2. Gerly says:

    Que bonitinho! rs...

    Beijokas!

    :o)

  3. Assim como o oceano só é belo com o luar
    Assim como a canção só tem razão se cantar
    Assim como uma nuvem só acontece se chover
    Assim como o poeta só é grande se sofrer
    Assim como viver sem ter amor não é viver

    (Vinícius De Moraes/tom Jobim)

    Desejo a voce um resto de semana maravilhoso
    Abraços. Eduardo Poisl

  4. Uma manifestação de sensibilidade e de estética sem paralelo!

    Gostei muito! Parabéns!

  5. Hua, kkk, ha, ha, corações sempre se quebram, mas voltam um pouco mais fortes.

    Fique com Deus, menina Avassaladora.
    Um abraço.

  6. Oxi, que doce do mais doce esse texto. Num tem jeito, todos ´pecamos` na hora de amar, não há remédio que cure.

    Saudades do vozinho hein, mas que lembranças inesquecíveis. Pena não podemos mais compartilhar as coisas que eles tentavam nos mostrar, mas que nós muito toscos nem nos importávamos.

  7. Zisco says:

    Coração é assim mesmo, se machuca com qualquer coisinha, e não aprende até de despedaçar no chão.

Novo Comentário